A. Pessoa

C.V. de Augusto Pessoa

...em Angola
Augusto de Jesus Pessoa, nasceu em Angola, antiga Nova Lisboa, a 31 de Julho de 1941. Começou por desenvolver a sua actividade profissional como desenhador-projectista de construção civil no Cubal-Angola.
...em Portugal
Assistido e acompanhado pela professora Otília Costa (Lita Lisboa) desde 2005, inicialmente na Universidade Sénior de Almada e posteriormente, no seu atelier particular, em pintura a óleo.
Aluno da professora Teresa Oliveira desde 2007 na Universidade Sénior de Almada em expressão de artes.
Associando conhecimentos do desenho profissional, adquiridos enquanto desenhador-projectista de construção civil,com aqueles obtidos através das suas professoras, leituras, visitas a exposições de arte e museus, e outros adquiridos através da sua alargada experiência profissional, tenta passá-los, continuamente, à sua maneira de se exprimir em pintura.
A procura de caminhos, novas técnicas e saberes é uma constante em si.
África tem sido tema abordado, bem como outros...



De mim...um pouquinho.
Pouco, muito pouco.
Não que mais não tenha...
Já que de vida longa
Meu corpo e mente contenha.
Pouco, para, ainda menino,
Já curioso, buscava e rabiscava
Um qualquer canhenho, algum tino...
Daquilo que tanto gostava.
O desenho!

Mas, de que servira o gosto,
Se o importante faltava?
Luta desigual fui travando...
Vencidos obstáculos, barreiras surgidas.
Barreiras vencidas, novos rumos, novos
rugidos.
Ora navegando, ora surfando...

Até que... A pintura!
Finalmente, nova aventura.
Desafios postos, logo vencidos
Com paixão, amor e ternura.
Também com olhos humedecidos.
Sentimentos, por vezes contraditórios,
Entre o prosseguir e o desistir.
Desistir, quando acreditas?
Desistir, quando és capaz?
Não! Nunca!
Isso não se faz!
A.Pessoa

1 comentário:

Mirasserra. disse...

è por tudo isto que venho ao blog todos os dias, que maravilha ter cruzado um dia com pessoas desta fibra,não me canso dos Poemas,nem de olhar as obras de pintura de um grande artista que por certo encontrei muitas vezes no Cubal.Saudações Cubalenses. Pedro Jorge