Edgardo Xavier e " O Canto da Pedra "

Ontem, Sábado, foi um dia em cheio.
Estive com um amigo de Angola, de Nova Lisboa (Huambo) e também do Cubal. Um amigo poeta. O EDGARDO XAVIER. Lembrar-se-ão certamente da família Xavier do CFB.(vidé post no nosso blog)
A oportunidade deu-se na apresentação do seu novo livro "O Canto da Pedra", da Papiro Editora e que se realizou na Livraria-Galeria Verney em Oeiras.
A sensibilidade que o Edgardo Xavier transfere para a sua poesia, não deixa ninguém indiferente. Já o tinha referido aqui no blog, quando do seu livro de poesia "Amor despenteado".
O Edgardo, autoriza-me a partilha da sua poesia no nosso blog. Escolho este poema, com ilustração de Irene Gomes.

Aqui fica a sugestão de leitura. Não se arrependerão.

TODA A SEDE
................DO MUNDO
...
Fala-me de aventura
De mares a navegar pelo teu corpo
De cheiros fortes e de flores
Dos nossos amores
Diz-me desta procura
Das sedes
Limos
E redes
Que temos para chegar ao infinito

Faço de ti a minha ilha deserta
A minha solidão
Saio para o mistério do tempo
E volto
Sequioso de luz
Para o calor do teu ventre

Cobre de beijos
a minha nudez
Sente-me
com a brasa dos teus olhos
e o fogo esperto
da tua língua
Deixa que morra à míngua
desse céu aberto
e castiga-me
na fúria do teu querer
..
edgardo xavier

Podem ouvir, neste programa, poesia de Edgardo Xavier. clicar em Podcast

Obrigado amigo Edgardo! Parabéns pelo teu trabalho.Uma saudação cubalense.

Ruca

3 comentários:

Anónimo disse...

Desconhecia a veia artistica do amigo de juventude Rogério Xavier ( Edgardo Xavier ). Também meus pais tinham relações de amizade com o casal Xavier; o Sr Américo como maquinista do CFB colega de profissão de meu pai e D. Fernanda amiga de minha mãe. Lembro a particularidade dos filhos terem todos nome começado por R e a filha Paula ser ao tempo uma referência entre as jovens cubalenses.
Parabéns ao "Edgardo" Rogério pelo curriculo artistico.
Fernando Matoso

Rui - "Ruca" disse...

Caro Fernando Matoso,
É verdade! Estás bem situado. Já reencaminhei a tua nota ao Edgardo (Rogério) Xavier. Certamente, vais dar-lhe uma grande alegria. um abraço Ruca

Anónimo disse...

Ruca, Fernando Matoso desconhecer a veia artistica de meu irmão é estranho, porque toda a vida ele se destacou nessa área.
Sei que cedo nos separamos, lembro de Fernando vagamente, fico feliz de agora o encontar e agradecida pelo elogio a meu irmão
A ti também um obrigada bem grandão pela oportunidade de estar aqui e por divulgares o artista, crítico e ceramista Edgardo Xavier.
Paula