Arte da Paz III - A Cultura e a Solidariedade entre Angola e Portugal - de 4 a 17 de Abril 2009 no Chiado - Lisboa


A Fundação SOUSA PEDRO e a AMBERGOL sentem uma profunda e genuína satisfação e um legítimo orgulho por se poderem associar - em fraterna e solidária parceria! - à feliz e oportuna iniciativa dos Serviços Culturais da EMBAIXADA DE ANGOLA EM PORTUGAL, ao promoverem no nosso Espaço Cultural do Chiado, mais uma edição da celebração da FESTA DA PAZ ao mesmo tempo que se apresenta ao grande público a Exposição Colectiva da Artistas Plásticos Angolanos "ARTE DA PAZ III"!
Tudo isto, comemorando verdadeiros laços de Amizade e Cooperação, entre Povos Irmãos - entre Angola e Portugal -, países com relações fortes, duradouras e em pleno estádio de maturidade, em perfeita sintonia nas visões do passado, do presente e do futuro... que se quer e deseja de maior e melhor prosperidade, bem estar e ser, tanto no campo económico, social e, sobretudo, cultural, pois sem Cultura — a autêntica cultura da constante troca de conhecimentos, experiências e vivências! — não se pode, com propriedade, aceder a um equilíbrio, uma harmonia, um enraizamento, uma plena integração, um estado de alma que eleve o Ser Humano, acima dos simples interesses materiais.
Através das Pinturas e Esculturas de ANTÓNIO MAGINA, ARLETE MARQUES, ANTÓNIO TOMÁS ANA - ETONA, VERÓNICA LEITE E CASTRO, KAPTINE, ELEUTÉRIO SANCHES, NANÁ SUZANA CHIPILICA DE ALMEIDA - NANÁ, ZAN ANDRADE e ZIZI FERREIRA (alguns dos mais representativos e emblemáticos nomes da nova geração de reconhecidos, premiados e aplaudidos Artistas Plásticos Angolanos da actualidade), todo o Chiado - alfacinha, histórico, boémio, tradicional e poético! - se enche de novas formas, novos vocabulários, novas expressões de uma viva, salutar e dinâmica visão do mundo, com um olhar africano, uma maneira de estar e de ser (também!) europeia, uma cidadania responsável e universalista, mas acima de tudo, com uma qualidade estética e uma leitura de contemporaneidade que orgulha os responsáveis por mais esta iniciativa que traz a Lisboa, as cores, as formas e os movimentos de uma Angola que, tal como as varinas de Almada Negreiros, se nos mostra sensual, sedutora e inteira...

Vítor Escudero
(da Academia Nacional de Belas - Artes)

Consagrar a Floresta

O silêncio dos imbondeiros ou então o "chuachualar" das mulembeiras que testemunhamos nascer no universo de Angola, terra-mãe, mãe de muitos filhos, dos quais são originários este diversificado grupo de artistas, que trazem o fruto da sua criatividade, aqui bem no coração de Lisboa, amiga e acolhedora, para que se possa usufruir as cores e as formas desta atmosfera, que, pintamos, esculpimos, cantamos e dançamos, de panos!
Todo esse simbolismo encerra o ideal da concórdia, de que todos somos guardiões.
Bem-haja Arte da Paz sempre!

O Comissário
António Magina

Sem comentários: