Curiosidades cubalenses



Quem ajuda o Leo (reinhard jerschke) a encontrar os manos Oliveira? ( o pai era o Jaime do Cinema)

Olá ruca  eu vivo na  Alemanha e também sou do cubal. Eu sou do alto cubal uma fazenda de sisal. Tenho um grande pedido:  estou á procura de uns amigos meus não sei se você me podes ajudar de encontrar esses amigos. Chama-se Jorge,  Carlos e Marlene de Oliveira  também  viveram na fazenda, e andavam na escola no Cubal. Agora devem estar entre 54 e 59 anos de idade. Desculpa o meu portugues e os meus erros. Eu ia ser muito feliz se você  podias encontrar esses amigos.  Muito obrigado e um abraço de um cubalense  ( leo) reinhard jerschke.


«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

Caro amigo Leo. Espero que esteja tudo bem consigo. Estamos a falar dos filhos do Jaime de Oliveira que também nos deliciava com projeções de filmes , não é verdade? Eu não tenho o contacto deles. Sei que antes do pai deles falecer, moravam em Almeirim perto de Santarém. Se estiveres de acordo eu coloco o apelo no blogue e aqui no Facebook. Achas bem? Pode ser que alguém tenha o contacto deles, ou eles próprios apareçam. Recebe um abraço .
ruca

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

caro amigo ruca. e' uma ideia muinto boa, estou de acordo colocar a mensagem no blogue e facebook. por agora muinto obrigado e um abraco do amigo leo.

"Dia da Mãe" - À minha mãe Júlia

Ruca e mãe Júlia - Angola - Nova Lisboa / Huambo  anos 60

Mãe

Conheço a tua força, mãe, e a tua fragilidade.
Uma e outra têm a tua coragem, o teu alento vital.
Estou contigo mãe, no teu sonho permanente na tua esperança incerta
Estou contigo na tua simplicidade e nos teus gestos generosos.
Vejo-te menina e noiva, vejo-te mãe mulher de trabalho
Sempre frágil e forte. Quantos problemas enfrentaste,
Quantas aflições! Sempre uma força te erguia vertical,
sempre o alento da tua fé, o prodigioso alento
a que se chama Deus. Que existe porque tu o amas,
tu o desejas. Deus alimenta-te e inunda a tua fragilidade.
E assim estás no meio do amor como o centro da rosa.
Essa ânsia de amor de toda a tua vida é uma onda incandescente.
Com o teu amor humano e divino
quero fundir o diamante do fogo universal.

António Ramos Rosa, in 'Antologia Poética'